6 dicas para cosméticos orgânicos



Uma pesquisa feita em 8.300 lares brasileiros pela Nielsen Brasil, em setembro de 2019, apontou que o consumo sustentável é uma prioridade para 32% dos brasileiros. O cenário atual, apesar de ter deixado muitos setores em estado de alerta, contribuiu para um aumento de quase 50% nas vendas de produtos orgânicos no Brasil, segundo a Associação de Promoção de Orgânicos (Organis).

 

Porém, mesmo que os dados comprovem que marcas sustentáveis e com produtos orgânicos estejam ganhando um novo fôlego, muitos nunca tiveram contato ou experiência com esse tipo de produto. Os motivos podem variar entre acharem o preço pouco acessível ou falta de conhecimento sobre os benefícios desses produtos para o bem estar do corpo e meio ambiente.

 

Para ajudar os que tem interesse em saber mais sobre o universo orgânico, a fundadora da marca de cosméticos orgânicos Souvie, Caroline Villar, dá dicas práticas que ajudam os iniciantes a introduzirem produtos orgânicos na rotina, principalmente de beleza, e como fazer isso de forma leve. Confira!

 

Devagar e sempre!

"O universo de orgânicos é enorme, então comece aos poucos. Faça uma análise por qual categoria gostaria de começar e que seja mais acessível para o seu caso. Em beleza, por exemplo, a minha dica é começar por um produto e sentir como ele está performando no seu corpo, como a sua pele está reagindo a ele", indica Villar, que pondera sobre a importância de não ser radical. "Todos os que hoje são 100% adeptos de produtos orgânicos começaram devagar. Este é o segredo para se adaptar, sem sofrimentos, com um novo tipo de consumo".

 

Custo X benefício

"A maioria das pessoas que nunca consumiram orgânico falam que o principal impeditivo é o preço. E a diferença no preço entre cosmético orgânico e comum é realmente notável porque o trabalho envolvido para desenvolver um produto verdadeiramente orgânico, no caso do cosmético por exemplo, é bem maior do que para executar uma fórmula manipulada com fragrâncias sintéticas, petrolatos e afins", explica fundadora Souvie.

 

Para superar esse obstáculo, Villar aconselha o consumidor a pensar nos benefícios. "Quando se opta por um cosmético orgânico certificado, o consumidor recebe a garantia de que está usando um produto que não vai causar alergias ou prejudicar a saúde da pele a longo prazo". 

 

Seja aberta ao novo

Pode ser desafiador substituir os cosméticos tradicionais por orgânicos, mas estar aberto a experimentação pode ser o primeiro passo para encontrar um universo de novidades e variedades. "O mercado está repleto de opções para todos os gostos e perfis de pessoas. Basta uma experiência para que o consumidor se encante por esse universo de orgânicos. Sugiro apenas uma chance para que os iniciantes possam sentir na própria pele o que cosméticos orgânicos podem fazer com o corpo".

 

A importância do autoconhecimento

 

"Quando passamos a usar produtos orgânicos, entendemos melhor o nosso corpo. Muito da nossa pele é apenas um reflexo do que passamos sobre ela. Pode acontecer de termos a pele excessivamente oleosa por estamos usando algum creme que a está estimulando de forma errada. O nosso fio capilar é a mesma coisa. Quando desintoxicamos os fios de shampoos, condicionadores e cremes tradicionais, conhecemos verdadeiramente como é o nosso cabelo. Produtos orgânicos nos fazem ver com outros olhos".

 

De olho no meio ambiente

Por conterem o mínimo de ingredientes sintéticos, produtos orgânicos contribuem para a preservação do meio ambiente e se encaixam perfeitamente nos princípios da sustentabilidade. "As nossas escolhas de consumo impactam diretamente no meio ambiente. Quando optamos por produtos orgânicos, estamos gerando menos impacto socioambiental, já que esses produtos contam com matérias-primas biodegradáveis e não poluentes".  

 

Procure se informar

Quais são os benefícios de um produto orgânico? Quais as diferenças entre o cosmético comum e o orgânico? Entender as respostas a essas e outras perguntas similares vão fazer toda a diferença na decisão de compra. Caroline explica as diferenças: 

 

  • Cosméticos tradicionais

"Cosméticos tradicionais ou convencionais são derivados de ingredientes sintéticos ou artificial, geralmente desenvolvidos em laboratórios, como petrolatos, parabenos, propileno, amônia, corantes e fragrâncias sintéticas. Esses produtos prometem resultados milagrosos, mas afetam muito a saúde da pele a longo prazo, causando reações alérgicas, intoxicação e, em alguns casos, doenças mais graves. Além disso, tais substâncias tóxicas poluem também o meio ambiente".

 

  • Cosméticos naturais

"De acordo com o Instituo Biodinâmico (IBD) e Ecocert, cosméticos naturais devem ter, no mínimo, 95% de seu conteúdo total composto de matérias-primas naturais, como manteigas e óleos vegetais, lanolina, corantes e pigmentos naturais, óleos essenciais, extratos vegetais, minerais e polímeros naturais. E não devem conter vários outros componentes, como derivados de petróleo, corantes e fragrâncias sintéticas, silicone, além de não poderem ser testados em animais". 

 

  • Cosmético veganos

"O cosmético vegano não pode conter ingredientes de origem animal, como mel, leite, cera de abelha e derivados – sendo alguns desses permitidos em cosméticos naturais, por exemplo. E é importantíssimo que ele não tenha sido testado em animais. Porém, esse tipo de cosmético pode não ser natural ou orgânico. Além disso, é possível que ele seja totalmente sintético e ainda assim ser considerado vegano". 

 

  • Cosmético orgânicos

"Os cosméticos orgânicos costumam ser confundidos com os naturais pelas matérias-primas permitidas, porém o que os diferencia é que existe um mínimo percentual de ingredientes provenientes de agricultura orgânica. Ou seja, sem resquícios de pesticidas ou agrotóxicos. Os demais 5% podem ser compostos por ingredientes sintéticos permitidos pela certificadora". 








Siga @MarcosGomesBr e fale comigo !